O casamento clássico | Lud e Mateus

Meus amores, que saudade! Como amo isso tudo aqui. E como é difícil pra mim ficar tanto tempo longe de vocês. Bom, quero que saibam que sou muito grata por todas as mensagens lindas que recebi de carinho. Obrigada de coração! Mas vamos logo publicar essa chuva de inspiração, porque além de vocês, eu também estou muito ansiosa.

Essa  história de hoje eu tenho um carinho especial por ela. Mateus foi um colega de trabalho em Ipatinga-MG. Fazíamos uma dupla “divertida” pra contornar alguns probleminhas nada básicos e bemmm grandes (rs) que surgiam repentinamente. Mas o legal é que já nos conhecíamos antes por termos amigos em comuns. E foi nessa época que descobrimos por meio do nosso sobrenome que podíamos ser “primos”. Na época foi tão engraçado, porque deu muito trabalho pra chegar nessa conclusão. Bom…além disso… começamos a namorar os nossos parceiros de vida bem na mesma época. Lembro como se fosse ontem eu chegando com o Júnior (meu marido) em um restaurante Japa em Ipatinga-MG e dando de cara com ele e a Lud. E ao longo do tempo, eu casei, vim morar em BH mas sempre acompanhava de longe o casal e torcia muito pra esse “happy and” chegar logo. E chegou! E é isso que a Lud contou pra gente… um casamento lindo, cheio amor, com muita personalidade e, o mais legal, uma noiva bem consciente no grande dia. Um casamento clássico, mas com um toque do rústico que adoramos.

“Eu sou de Belo Horizonte e Mateus de Ipatinga. Mudei para cidade dele em 2005, o conheci no mesmo ano quando fui com uma amiga comer comida japonesa na casa de uns amigos dela e quem era o cozinheiro? O Mateus. Na época ele namorava, e tornamos amigos. Os anos passaram, tivemos outros relacionamentos… Nos encontramos em várias outras situações, jogos do Cruzeiro, shows com nossas bandas favoritas… Viramos amigos e ele até assumiu o papel de meu conselheiro amoroso (hoje desconfio de seus conselhos rsrs). Até que em 2010, numa saída regada a desabafos e conselhos, ao som de uma banda cover de Nando Reis nos beijamos. Na hora me perguntei “o que estou fazendo “???? “agora sim coloquei fim em tudo!” Rs…. E desde então demos uma chance em algo que nunca esperei acontecer. E essa história toda começou há 7 anos e 6 meses com o namoro e noivado até o dia do nosso casamento.

Ele “vira e mexe” tocava no assunto casamento e eu sempre esquivava. Sabíamos que tínhamos outras prioridades (minha faculdade e residência por exemplo) e além disso havia a distância que fez parte do nosso relacionamento ao longo de 4 anos e meio. Eu não queria casar para cada um morar em uma casa, já que era impossível mudarmos para mesma cidade. Mas depois de tanto tempo de namoro, de tantas idas e vindas pegando estrada, de tanto sofrimento devido a distância e com minha residência chegando ao fim, não tínhamos mais para onde correr e nem queríamos rsrs… Um dia conversando sobre a vida e o futuro, fazendo planos decidimos casar, olhamos uma data que fosse feriado… e pronto ! 13 de outubro de 2017 seria o dia! Com cerca de um ano e meio de antecedência. No meu aniversário (25/06/16), já tínhamos a data (apenas para nós dois, sem muita divulgação mas já preparando principalmente meu pai e minha mãe que casamento não demorava a acontecer), com as famílias reunidas ele me pediu em casamento e oficializamos tudo.

 Como o Mateus falava “é só marcar a data que chega!”…  Chegou! No dia do casamento eu estava bem tranquila, na verdade fora um ou outro momento de ansiedade (às vezes extrema) até mesmo por conta das enumeras tarefas e decisões que precisamos tomar, considero que fui uma noiva tranquila! E no dia até eu me surpreendi com minha tranquilidade. No salão com minha mãe aproveitei cada momento, brinquei muito com toda equipe … O combinado era que meus irmãos iriam me buscar no salão às 16h (não queria atrasar para cerimônia, era o nosso combinado) mas nem tudo está ao nosso controle! Às 16h30 meu irmão chega na porta do salão, todo suado, a camisa dele podia torcer, coitado! O ar condicionado do carro havia estragado, ele tentou arrumar um táxi para me buscar e nada … essa hora só ri, estava dando tudo tão certo que nem parecia um casamento na sexta-feira 13!! Sorte que a Eliamara (fotógrafa) ainda estava colocando as coisas no carro “Lud, você não pode ir nesse carro, vai suar toda! Se você não se importar vamos no meu carro?!”. E eu prontamente entrei no carro dela, fizemos foto claro para registrar o ocorrido, ri bastante disso. Quando cheguei no local fiquei maravilhada com o pouco que estava vendo, “é chegou a hora!” Mas… duas madrinhas estavam atrasadas e com isso a cerimônia atrasou mais um pouco, eu ali no carro sozinha (nem celular eu tinha rs)! Motivo para surtar correto?! Não! Quando olhei o céu e vi que o sol estava se pondo, aquelas cores maravilhosas que o céu fica no fim de tarde, do jeito que eu sonhei e queria muito que estivesse na hora da minha entrada (mas nem tudo está ao nosso controle… rsrs)… era tudo obra de Deus! Como ficar nervosa, ansiosa ou estressada?! Tudo estava perfeito, maravilhoso! Entrar … ver o Mateus lá na frente chorando (rsrs), as luzes e o céu, nossos pais, familiares e amigos! Tudo perfeito! A festa então?! As músicas que gostamos, a decoração maravilhosa, tudo perfeito! Fui aproveitar cada momento! A banda que adoramos tocando a música que amo e embalando nossa “valsa” não planejada, eu dançando com meus pais e irmãos a música que embalou nossa infância! Nosso casamento foi a nossa cara! Foi cheio de detalhes que estavam perfeitos! E o melhor cheio de emoções! Tudo como queríamos…”

 

Fotos Estudio Edi |Cerimonial Glamour | Local Folha de Prata | Decoração Monalisa Antenor | Beleza Beauty Boutique | Jóias Mimo de Moça Atelier | Vestido Zezeh Alta Costura | Doces Doce Mania | Buffet Geovana Franco | DJ Pinguim | Bolo Denise Valverde

Deixe uma resposta